terça-feira, 9 de outubro de 2018

SENADOR SÁ | ELEIÇÕES 2018, UMA SUCINTA ANÁLISE.

As eleições deste ano mostraram quão acirrada será a disputa em 2020, a oposição que foi dividida ao meio, mostrou que tem voto, no somatório dos votos válidos levados pelos três grupos, a fatia da oposição (votos do Raul e Bel somado) representa em torno de 2/3 desse montante.
A situação mostrou também que está viva e bem viva, quando todos apostavam um último lugar, atribuindo que a mesma tiraria uma votação pífias, alguns arriscavam a dizer que ela não tiraria 800 votos, surpreendeu. O federal, Robério Monteiro, atingiu 1.416 votos e o Estadual, Sérgio Aguiar 1.319 votos, alguns dizem que o cenário ficou favorável com presença do ex-prefeito Alex, que entrou em campo na reta final e que se tivesse mais tempo teria virado o jogo.
Bel Junior mostrou que ainda tem liderança na oposição local, liderando a votação no âmbito municipal, sendo os candidatos apoiados por ele, Vilane e Neto Andrade, os mais votados na contagem geral, com destaque para o candidato a deputado federal AJ Albuquerque.
Neto Andrade consolida-se como um político nato e grande canalizador de votos, mesmo apoiando Zezinho Albuquerque (estadual) desviou pela tangente, mais de 100 votos para Moisés Brás, pelo menos o mérito é atribuído a ele.
Vilane mostrou que tem voto, pela primeira vez em 10 anos, Salão não deu maioria à situação, havia no senso comum que Vilane não tinha tanto votos assim, pois eram contados os que tinha acompanhado publicamente o vice-prefeito na sua decisão, porém as urnas mostraram que Vilane tem votos e não é só no Genibaú.
Raul Neto, Rui, Zilma, Neto Araújo, Jonas e Zé Maria fizeram uma boa votação, deram mais de 1000 votos ao deputado Romeu Aldigueri, no entanto, a incógnita se terão ou não candidato próprio na próxima eleição, pode ter contribuído para uma migração maior para a outra parte da oposição que já tem o nome definido, uma vez que o povo nas eleições de deputado já vislumbra a de prefeito e quem sabe conduzir melhor esse sentimento, se sai melhor.
Kêba Rafael, que ninguém dava um bombom por ele, levou de Senador Sá, só com a cara e a coragem 181 votos, digo dessa forma, porque ele não teve nenhum apoio expressivo além da sua própria família e alguns amigos.
Jonas do Paredão mostrou-se fundamental na região de Serrota, há quem diga que o bom desempenho de Romeu na região tem um dedinho, ou até um dedão do Jonas no meio.
De forma resumida, podemos afirmar que cenário político que se esboçou nas eleições estaduais e federais deste ano rumo á 2020, nos leva através da memória, ao ano de 2008, onde podemos ver claramente a figura de três candidatos, todos com chances reais de vencer. Os gráficos ilustram bem isso.
Quem venha 2020...




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este espaço é seu, pode comentar!