domingo, 2 de abril de 2017

SENADOR SÁ | AÇÚDE TUCUNDUBA FALTA POUCO MAIS DE 50CM PARA SANGRAR.

Imagem do dia 02/04/2017- Foto de JP
Mais uma boa notícia aos senadorsaenses!
O Açude Tucunduba, localizada no distrito de Serrota / Senador Sá, está prestes a operar em capacidade máxima, em outras palavras, sangrar.

Por volta das 7h da manhã deste domingo(02) faltava apenas 63 cm, porem as águas do dia anterior ainda estavam chegando, os rios que colocam água para dentro do açude estão a todo volume.
Sangradouro Tucunduba - Imagem de 2011
O tucunduba tem capacidade para mais de 41 milhões de metros cúbicos de água. A última vez em que o açude atingiu o seu volume máximo, segundo a Companhia de Gestão dos Recursos Hídrico do Ceará – COGERH, foi em 10 de março de 2011.
Sangradouro Tucunduba - Imagem de 2011

NOTA HISTÓRICA:
O açude tucunduba foi construído de 1912 a 1919, tendo sua construção executada pela Inspetoria de Obras Contra as Secas (IOCS), a região onde fica o açude na época pertencia ao município de Sant’Ana, hoje Santana do Acaraú. O açude tem em sua história muitas peculiaridades que fazem dele ainda mais importante, em 1915, com o advento da seca o tucunduba ganhou muita notoriedade em toda a região, não pela a agua mais pela comida e pelo o trabalho que lá era oferecido, com o grande aglomerado de gente faminta chegando quase que de uma vez só, o então engenheiro responsável pelos trabalhos, Abelardo dos Santos, fatia os afazeres para empregar mais gente, neste mesmo no ano o mesmo pede socorro ao governo para sustentar o povo que estavam arranchados nos arredores da construção, pois o número já chegava a casa dos 7 mil. Como socorro o engenheiro recebeu do governo a construção de dois poços profundos, recebeu também reforço de armas e homens para segurança dos armazéns de comidas, que dadas as circunstancias podiam ser arrombados a qualquer momento. Nos registros, o engenheiro chegou a empregar formalmente mil trabalhadores, superando a crise e a fome naquele tempo tão difícil. Tudo isso consta no arquivo do DNOCS.
Imagem do Arquivo do DNOCS/ Foto de Luciene Morais.
A conclusão nos dados oficiais se deu em outubro de 1919 e sua primeira sangria em 27 de Março de 1930, onde onde uma lamina de água de 20cm lavou o escoadouro pela primeira vez.

Fonte: Correio Senadorsaense.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este espaço é seu, pode comentar!