quarta-feira, 20 de setembro de 2017

SENADOR SÁ | IRREGULARIDADE NO ABASTECIMENTO DA CAGECE PODE TRAZER ONDA DE ARBOVIROSES.

É do conhecimento de todos que no município de Senador Sá neste de ano de 2017 pouco se ouviu a população falar em doenças ligadas ao Aedes aegypti (Dengue, chikunguna, Zika e outras), as arboviroses. Com muito trabalho de campo e conscientização, a Secretaria Municipal de Saúde conseguiu (pelo menos até o momento) controlar a infestação e manter os índices baixos, todavia, com as constantes faltas d’águas no sistema de abastecimento do município, o trabalho terá de ser redobrado e até refeito do zero para se manter assim, tudo em decorrência da desatenção da cagece.
Problema:
As constantes faltas d’água, que em algumas ruas chegam a 6 dias, obrigam os moradores a estocar quantidades cada vez maiores de água e muita das vezes em novos reservatórios, dada a pressão que não chega suficiente para levar a água até os reservatórios superiores (caixas d’água).

De acordo com o coordenador das endemias, Moisés Arruda, este problema acarreta em outros que tornam muito difícil o trabalho dos agentes, ‘a àgua quando chega não sobe, aí o cidadão armazena em tanque, em balde e outros recipientes desprotegidos, como a água chega com grande concentração de cloro, natural pois é tratada, o peixinho (lebistes) não resiste e os cidadãos devido à incerteza do abastecimento não abre mão de uma gota d’água, e fica, por assim dizer, criando o mosquito em casa, fica ruim, aumentam as chances de uma epidemia”.

De acordo com o coordenador, dentre as ações desenvolvidas até o momento estão a conscientização, através de informação e divulgação em diversos meios de comunicações locais; a distribuição de telas para vedação e de peixes lebistes; a criação do comitê e a instauração das brigadas e as palestras nas escolas, no entanto, segundo Moisés, as ações de combate são as de maior eficiência, tipo a vedação com tela e os peixinhos. Atualmente estima-se que mais de 22% das residências da sede tem suas caixa d’águas superiores vedadas e/ou teladas, e que 10% tenham 100% dos seus reservatórios vedados, porem o número ainda é pequeno, completa.
Alguns Membros do Comitê
Trabalho em vão
Ainda conforme o coordenador até o momento foram disponibilizados mais de 1.300 metros de telas, distribuídas em tanques, tambores, cisternas e caixas d’águas, sendo só nesta última 211 unidades teladas, fator que tem preocupado a equipe de endemia pelo fato de a maioria estarem vazias, devido à pressão do sistema que não leva a água até o reservatório superiores (caixa d’água) ficando a maior parte em depósito menores e desprotegidos.
Alô cagece, vamos ajudar né!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este espaço é seu, pode comentar!