quarta-feira, 5 de junho de 2019

ARTIGO DE OPINIÃO: DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE


O artigo 225 da constituição federal de 1988 nos garantiu o direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado. No entanto, entre a letra da lei e a dura realidade nossa de cada dia há uma distância por vezes faraônicas. No país em que mais se mata ambientalistas no mundo, é necessário alertar a população dos prejuízos e das consequências da agressão ao planeta terra, ou melhor, a nossa única casa. O poder econômico com a leniência do poder político tem exaurido os nossos recursos naturais e colocado em risco nosso passado (memória), nosso presente e nosso futuro. Nossos rios estão sendo mortos pela mineração e pela ineficiência ou simplesmente ausência de políticas públicas de saneamento ambiental eficazes. Os desmatamentos e as queimadas estão destruindo o habitat de nossa fauna, ameaçado nossa flora e aumentado nossas áreas desertificadas. Nosso planeta está cada vez mais quente em razão das ações antrópicas que estão desequilibrando o sistema climático. A pesar desse complexo e triste quadro, demos passos importantes: Criamos as Unidades de Conservação, democratizamos e demos transparência a gestão ambiental, demarcamos terras indígenas, democratizamos e universalizamos o uso dos recursos hídricos, condicionamos as atividades potencialmente poluidoras ao licenciamento ambiental respeitando os princípios da prevenção e da precaução.  Temos consciência de que os desafios são muitos, mas as conquistas também. Nosso gigante pela própria Natureza detém cerca de 20 % de toda biodiversidade do planeta. Mais do que nunca precisamos unir forças e lutar pela mãe terra ou simplesmente pela existência da raça humana, tendo a compreensão de que tão ofensivo quanto a ação é a omissão, pois podemos economizar água, plantar árvores de preferência nativas, garantir e respeitar a liberdade dos nossos animais silvestres, reciclar nosso próprio lixo, economizar energia, usar mais nossa bicicleta. Como tão bem escreveu o poeta Mário Quintana “ Nesses Tempos de céus de cinzas e chumbos, nós precisamos de árvores desesperadamente verdes. ”
Assinado por: Francisco Jailson Monteiro de Sousa. Ambientalista, atualmente Secretário de Políticas Sociais, Agrícolas, Agrárias e Meio Ambiente do STR de Senador Sá. É Gestor Ambiental de formação. Militante de Direitos Humanos. Foi o ganhador da Comenda Zaranza 2018 do CBH Coreaú, conferida a personalidades e instituições que se destacam nas questões ambientais e de gestão dos recursos hídricos no estado do Ceará. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este espaço é seu, pode comentar!